quarta-feira, 30 de maio de 2012

"Para conhecimentos nunca dantes alcançados?"

Alunos ajudados em provas de aferição
Uma professora do Colégio Bartolomeu Dias, em Santa Iria de Azóia (Loures), terá transmitido aos alunos as respostas correctas a algumas questões, durante as provas de aferição do 4º ano de Língua Portuguesa e Matemática, realizadas a 9 e 11 de Maio. A docente terá fornecido as respostas aos alunos porque estes não tinham dado a matéria em causa.
Foi pedido às crianças para não contarem nada aos pais, mas um encarregado de educação acabou por tomar conhecimento. Indignado com o mau exemplo dado às crianças pela professora, apresentou queixa na Inspecção-Geral da Educação e Ciência.
O colégio também está a averiguar o caso, confirmou ao CM o director pedagógico, Pedro Gomes Freire. "Foi aberto um processo de averiguações interno para tentar saber se houve esclarecimentos prestados aos alunos. Se houve incumprimento, quem incumpriu será chamado à responsabilidade", disse.
Pedro Gomes Freire não esclareceu se as suspeitas de transmitir informação aos alunos recaem sobre a própria professora da turma do 4º ano ou sobre a docente que fazia vigilância na sala.
O caso, sabe o CM, está a gerar no colégio uma onda de solidariedade para com a professora em causa.
O CM questionou o Ministério da Educação e Ciência, que remeteu esclarecimentos para mais tarde.

"Aquele que se arroga autoridade será odiado." (Textos Bíblicos)

Governo diz que novo Estatuto do Aluno reforça autoridade dos professores
O reforço da autoridade do professor é uma das principais vertentes da proposta de novo Estatuto do Aluno que o Governo vai apresentar na próxima semana, afirmou nesta terça-feira o secretário de Estado da Administração Escolar, João Casanova.
Numa audição na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, o secretário de Estado afirmou que o documento “vai além do Estatuto do Aluno e contém normas éticas para o funcionamento das escolas”.
O governante indicou que o “reforço da autoridade” dos professores está consagrado no documento, que remete para os crimes praticados contra os professores no exercício da sua profissão, tal como tipificados no Código Penal.
João Casanova acrescentou que a proposta se orienta também pelo “reconhecimento e respeito da autoridade do professor pelos encarregados de educação e pelos alunos

A sexualidade deve ser "ensinada" na Escola?

Pode adiantar algum facto interessante que descobriu durante este processo?
Por exemplo, o posicionamento dos jovens e respectivos pais em relação à educação sexual. O que podemos concluir é que se existe consenso sobre a necessidade de a escola se envolver na educação sexual dos jovens, já não existe acordo sobre a forma de concretização dessa aspiração. Quem na escola se deve responsabilizar pela educação sexual dos jovens? Encontram-se os docentes preparados para essa tarefa? Um rol de inquietações surgiu nos grupos de discussão. As entrevistas realizadas alertam-nos para a inconveniência de ela poder ficar subordinada a uma excessiva formalização. Ou seja, o reconhecimento da necessidade de aquisição de conhecimentos por parte dos jovens em matéria de sexualidade não ignora a carência de uma adequada formação dos agentes veiculadores das desejadas informações. Aliás, não é consensual, a partir da amostra de estudo, que a sexualidade deva ser «ensinada» nas escolas. Em contrapartida, admite-se e espera-se que na escola ela possa ser discutida e, sobretudo, reflectida.

terça-feira, 29 de maio de 2012

"A ignorância é audaz; a sabedoria, reservada." (Tucídedes)

Ministro da Educação ainda não sabe quantos professores ficarão no desemprego
O ministro da Educação, Nuno Crato, afirmou hoje que não faz ideia de quantos professores contratados ficarão fora do ensino no próximo ano lectivo, indicando como “fantasiosos” os receios de que sejam “dezenas de milhares”.
Falando numa audição na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, Nuno Crato afirmou que têm sido divulgados “números fantasiosos” sobre a não contratação de “dezenas de milhares” de docentes em Setembro.
“Não sei responder. Preciso de saber os horários que vêm das escolas e o número de alunos que se matricula”, indicou.
Quanto aos professores do quadro que serão postos em mobilidade especial por falta de horários, Nuno Crato afirmou que o objectivo do Governo é que “nenhum” fique nessa situação.
Ana Drago instou o ministro a “não dizer que não sabe, porque não é verdade e ninguém acredita”. “Tenha a dignidade de o dizer. Não brinque com a vida dos professores perto do momento em que as escolas organizam o próximo ano lectivo”, apelou, afirmando que, com medidas como o aumento do número de alunos por turma e a revisão curricular, se prepara “o maior despedimento colectivo da História”.
Miguel Tiago, do PCP, criticou o Governo por já ter enviado para as escolas as matrizes curriculares baseadas numa revisão curricular que “ainda não foi aprovada”, pedindo no fundo às escolas que “não cumpram a lei”, na organização do próximo ano lectivo.
Nuno Crato afirmou que, nesta ou na próxima semana, estarão prontos os despachos da revisão curricular e de organização do próximo ano lectivo, “perfeitamente a tempo” de as escolas o usarem.

Fala quem sabe e sabe do que fala!

Pessoa com Deficiência sim, Especial não!
Não somos especiais, porque temos uma deficiência, a gente pode ser especial por ter certas qualidades e outra ter uma deficiência não é e nunca vai ser uma qualidade. Ter uma deficiência é simplesmente, no nosso caso, ter algumas limitações físicas e, por isso temos que aprender a lidar com elas diariamente. Vendo assim, não tem lógica utilizar o termo especial para pessoas com deficiência!
É bem provável que essa nomenclatura tenha surgido através de pessoas sem deficiência que por motivos vários estão trabalhando e dirigindo secretarias, os setores da causa das pessoas com deficiência, essas pessoas não têm conhecimento e experiência de causa. Por isso acabam criando esses termos que são lamentáveis e só servem para denegrir a nossa imagem e trazer uma conotação de inferioridade.
Vou colocar outro exemplo de nomenclatura, que não ligamos, e ai vamos comparar.
 A nomenclatura para paralisia cerebral, o certo é encefalopatia crónica não progressiva, tanto faz uma ou a outra, pois nem uma e nem a outra definem a pessoa. Engraçado, já o especial, diz algo da pessoa, quando fala aquela pessoa especial, se referindo a pessoa com deficiência, a impressão é ele diz algo sim do fulano, como aquela pessoa é frágil, cuidado pode quebrar!
Não somos especiais, somos deficientes, queremos ser tratados com igualdade e respeito, enxergando a limitação física como ela deve ser enxergada e nada mais, além disso, combater e lutar contra o preconceito já é uma tarefa árdua e difícil se não bastasse isso ainda temos que lidar com essa terminologia que para nada presta a não ser inferiorizar ainda mais uma classe de pessoas que já sofre demais nesse país.
E você caro leitor é deficiente? Ou especial?

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O Passado e o Futuro - A Educação do Presente

I - Escola José Estêvão recua até ao século XIX
“A era de Dickens - o século XIX revisitado” serviu de mote à apresentação de gastronomia, vestuário e objectos típicos do século XIX
O século XIX foi, na passada sexta-feira, homenageado sob diversas formas na Escola Secundária José Estêvão, em Aveiro. Vestuário, gastronomia e objectos típicos daquela época foram aspectos retratados por esta instituição de ensino aveirense, através do tema “A era de Dickens - o século XIX revisitado”.
Os alunos da Escola Secundária Dr. Mário Sacramento, de Aveiro, tiveram a oportunidade, na passada sexta-feira, de conhecer as opções de cursos superiores disponíveis em várias instituições de ensino do país. A iniciativa, designada “Fórum Carreiras”, integrou o programa do Dia do Patrono daquela escola secundária aveirense.
Esta actividade, da responsabilidade do Grupo Mais, composto por alunos e professores da Escola Secundária Dr. Mário Sacramento, consistiu numa feira vocacional onde estiveram presentes várias universidades e instituições de Ensino Superior de todo o país, incluindo representações do Porto, Coimbra e Lisboa.


"Não tenho nada a declarar a não ser a minha genialidade." (Oscar Wilde)

Ethan Walmark  é um garotinho autista de 6 anos de idade que toca piano e canta músicas pop, muitas vezes sem partitura. É incrível, mas ele ouve a música uma vez, guarda na memória e simplesmente começa a tocar. 
Além de chamar a atenção por não precisar da partitura da música, ele encanta pela desenvoltura e graciosidade com que executa a música.
 Assista um de seus vídeos tocando e cantando “Piano Man”, de Billy Joel, um clássico do cantor.
Veja aqui um vídeo da atuação da criança em casa e aqui um outro, desta vez na TV.

domingo, 27 de maio de 2012

É esta Europa que invejamos?

Uma menina de nove anos conseguiu a proeza de fazer com as fotos dos almoços na cantina da escola que publicou no seu blogue se transformassem num dos assuntos mais falados do dia na Internet. E percebe-se porquê... 
O blogue começou no dia 30 de abril e tem fotografias de apenas três refeições na cantina da escola do primeiro ciclo que Martha Payne frequenta. Mas já foi visto mais de 40 mil vezes. E cada imagem conta com dezenas de comentários. O que há de extraordinário nas refeições desta criança?
Numa das fotografias vê-se um hamburger, de dimensões reduzidas, no pão, dois croquetes de batata, três rodelas de pepino e um gelado de gelo. Noutra, ainda mais bizarra, uma fatia de pizza, um croquete de batata, uma dúzia de grãos de milho e um queque.
A menina vive na Escócia e frequenta um estabelecimento de ensino não identificado mas que, obviamente, não parece estar a seguir as medidas que estão a ser levadas a cabo na Grã-Bretanha para melhorar a qualidade das refeições escolares.

sábado, 26 de maio de 2012

"A independência tem um preço, sempre o soube, e nunca me recusei a pagá-lo." (Eugénio de Andrade)


As repúblicas de estudantes de Coimbra precisam de ser apoiadas, mas sem permitirem que esse auxílio hipoteque o seu "espírito de independência e irreverência", foi sublinhado, esta noite, durante um debate naquela cidade.
"Cuidado com os apoios que querem e que vos oferecem para as vossas repúblicas", alertou o antigo 'repúblico' de Coimbra e atual bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto.
Uma "proteção exagerada" pode ser "uma forma de liquidar o verdadeiro espírito" daquelas residências tradicionais de estudantes (que terão surgido em Coimbra no início do século XIX), sublinhou o bastonário dos advogados.

Coimbra é uma lição

Missa às escuras em Coimbra para mostrar dificuldades dos invisuais
Uma missa às escuras vai ser celebrada domingo numa paróquia de Coimbra, com o objetivo de sensibilizar aqueles que veem para as dificuldades e potencialidades dos cegos e amblíopes.
A missa tem início às 21.15 horas, na Igreja de São João Baptista, zona da Portela, e será celebrada pelo padre Jorge Santos, que disse à Lusa que "tem andado a treinar" para ultrapassar as dificuldades impostas pela escuridão.
"A leitura do Evangelho neste domingo até a sei de cor, as outras leituras vão ser em braille (por invisuais)", afirmou o pároco, que admitiu poder valer-se, durante alguns passos da missa, de uma pequena vela.
Para que nenhuma luz entre no templo, "todos os vidros vão ser forrados de negro" e, mesmo assim, os fiéis convidados a vendar os olhos, para poderem melhor sentir na pele as limitações impostas pela escuridão, disse à Lusa Ana Eduarda Ribeiro, assistente social da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) em Coimbra, promotora da iniciativa.
É a segunda vez que uma "missa às escuras" é celebrada naquela paróquia, embora agora se trate de uma missa à hora habitual - a última aos domingos -, sendo o resultado da coleta a favor da ACAPO.
À agência Lusa, o padre Jorge Santos disse que aprendeu com a primeira experiência "o sentido da comunhão, o quanto é difícil fazer a vida normal" na escuridão.
"Queremos também dizer (com a iniciativa) a todos os invisuais que a Igreja está com eles e não os esquece, que estejam abertos a outra luz, a de Cristo", declarou.

Um dia todas as escadas serão (pelo menos) assim


A Inclusão enriquecerá a tua vida. E a de todos!

Clique para ver o vídeo. Vale a pena!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Inconstitucional! - considera o tribunal.

Tribunal considera inconstitucional regra que impediu progressão de professores
O Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) considerou inconstitucional a norma do Orçamento do Estado de 2011 que interrompeu a contagem de tempo de serviço e impediu a progressão dos funcionários da Administração Pública na carreira, o que afectou dezenas de docentes.
A posição do TAF do Porto surge na sequência de uma de duas acções judiciais apresentadas por aquele sindicato “para assegurar a progressão na carreira dos docentes que estando posicionados no índice 245, foram ultrapassados por colegas que, com menor antiguidade na carreira, passaram a ser remunerados pelo índice 272”, acrescenta o SPN.

Um dia todas as cozinhas serão assim


Brasil na linha da frente

A comissão de juristas instituída pelo presidente do Senado, José Sarney, para elaborar um anteprojeto de novo Código Penal decidiu nesta segunda-feira (21) sugerir a criação de um novo capítulo na lei penal para tratar os crimes contra pessoas com deficiência como crimes contra os direitos humanos.
O relator da comissão, o procurador da República Luiz Carlos Gonçalves, lembrou que tal enquadramento já é feito pela Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, também conhecida como Convenção de Nova York.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

"É mais cómodo dizer coisas novas do que conciliar as que já foram ditas." (Luc de Clapiers Vauvenargues)

Governo reforçou poderes de directores e professores
Mais poder para os directores e um conselho pedagógico mais profissionalizado, ou seja, constituído só por professores, são as principais alterações ao diploma de autonomia das escolas.
O diploma prevê que as escolas tenham autonomia para flexibilizar planos curriculares próprios, informa. "Maior autonomia" para os estabelecimentos de ensino, faz questão de sublinhar o governante.
Em breve, o ministério dará conta de mais pormenores sobre como é que se vai traduzir esta autonomia, mas Nuno Crato levanta o véu: as escolas poderão decidir os horários das disciplinas e organização dos tempos lectivos; bem como terão liberdade para definir créditos horários e gerir o tempo dos docentes.
Para tudo isso, haverá um reforço da figura do director de escola, acrescenta Nuno Crato. Os directores serão eleitos pelo conselho geral – órgão da escola onde está representada toda a comunidade – o que lhes dará "maior legitimidade". Além disso, deverá ter formação em gestão escolar. "O que queremos é que, progressivamente, o corpo de directores do país tenha maior formação específica em aspectos que têm a ver com gestão e não directamente com a docência", explica o ministro. O director não tem de ser um professor do agrupamento, mas poderá ser escolhido fora da escola.


Um dia todas as casas serão assim. Inclusivas!

Banheiro do CasalDesigner: Robson Gonzales
O local foi idealizado para ter dupla função – por se tratar do único banheiro da casa, ele faz as vezes de lavabo social. O projeto atende aos princípios da acessibilidade universal, tomando por partido a clara definição das funções idealizadas para o ambiente. A bancada, a bacia e a ducha foram alocadas nos extremos para conseguir uma área de circulação/manobras generosa. O emprego de materiais antiderrapantes foi utilizado tanto no piso quanto no revestimento de meia parede. O lavatório possui sistema de regulagem de altura automatizado, facilitando seu ajuste para maior conforto do usuário. O contraste entre o piso da área (em mármore branco espírito santo), a tabeira e as paredes, facilita a localização e o deslocamento das pessoas com baixa visão. A área para o banho foi revestida totalmente com granito cinza flameado, e dispõe de sistema de acionamento de água monocomando, no qual pode-se optar pela saída de água pela duchinha ou pelo chuveiro. A iluminação, por arandelas, evita o ofuscamento e facilita a manutenção, numa eventual troca de lâmpadas. O sistema de barras removíveis permite que o banheiro seja adaptado rapidamente, com a vantagem de possuir várias alternativas de regulagem, adequando-se totalmente ao usuário.

Olhar por quem cuida

Inscrições abertas até 30 de junho
A iniciativa solidária, promovida pelo Santuário de Fátima, repetir-se-á este ano pela sétima vez consecutiva. Durante uma semana os pais de pessoas com deficiência podem dedicar-se a outras áreas da sua vida, deixando os seus filhos entregues aos cuidados do Santuário de Fátima. A atividade visa proporcionar um momento de quebra de rotina e de descanso aos pais que cuidam dos seus filhos com deficiência em suas casas ao longo de todo o ano (a iniciativa não é destinada a pessoas que frequentam instituições).(...)
À semelhança dos anos anteriores, ainda que a maioria dos pais opte por confiar o seu filho aos cuidados do Santuário de Fátima e regresse a sua casa, aceita-se que aqueles pais que o desejem acompanhem os seus filhos neste período em Fátima.

As inscrições para participação estão abertas e têm como prazo limite o dia 30 de Junho. Até essa data, cada família interessada deve preencher e enviar um questionário-proposta de inscrição ao Movimento da Mensagem de Fátima.

Este ano, e devido ao grande número de famílias que se inscreveu para participar em 2011, a iniciativa foi alargada em uma semana, para 4 semanas.

De 1 a 7 de Agosto poderão ser inscritas pessoas com deficiência entre os 7 e os 20 anos de idade.

Nas semanas de 9 a 15 de agosto, 18 a 24 de agosto e 27 de agosto a 2 de setembro podem participar pessoas com deficiência com mais de 21 anos.

Cada pessoa inscrita só poderá participar numa das semanas.
O programa contempla momentos de celebração da fé e de formação sobre a Mensagem de Fátima e momentos lúdicos, de passeio e de confraternização.
Em 2011 participaram 59 pessoas com deficiência, entre crianças e adultos.
Outras informações: Movimento da Mensagem de Fátima: telf/fax 249 539 679 ou mmf@fatima.pt.
FICHA DE INSCRIÇÃO - PARA OS PAIS
FICHA DE INSCRIÇÃO - PARA OS VOLUNTÁRIOS

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Se for bom...se for adotado nas Escolas...

Equipa da Universidade de Coimbra propõe manual gratuito de Matemática para o 12.º ano. Será lançado esta quarta-feira. 
Quando os alfabetos não tinham símbolos para números, eram as letras que os representavam. O aleph, que é a primeira letra do alfabeto hebraico, também representava o número 1, e faz agora também parte do nome de um novo manual de Matemática para o 12.º ano, que tem entre as suas características originais o facto de ser gratuito.
“Com a crise que o país atravessa, pretendemos aliviar o peso da factura na compra de manuais e material escolar, promovendo em simultâneo o uso do livro digital”, explicou o matemático Jaime Carvalho e Silva, coordenador da equipa que desenvolveu o manual, numa nota à comunicação social enviada pela Universidade de Coimbra. O manual será lançado amanhã no Departamento de Matemática daquela universidade.

"Nunca ameace uma criança: castigue-a ou perdoe-a." (Textos Judaicos)

Negligência, abandono escolar e maus-tratos são as principais situações de perigo
Segundo o relatório anual, a que a agência Lusa teve acesso, as 305 comissões de proteção acompanharam em 2011 um total de 67.941 crianças ou jovens em risco, com especial incidência para as idades entre 11 e 14 anos e os 0 e 5 anos.
Do total de crianças e jovens acompanhados, 25.134 foram processos novos, instaurados em 2011.

A tua cara não nos é estranha. Parabéns, Mónica!



Inclusivas. Um dia todas as casas serão assim

Banheiro do Casal Designer: Robson Gonzales
1. Lavatório suspenso com ajuste elétrico de altura; 2. Misturadores da torneira colocados na bancada, para facilitar o alcance e o manuseio. Comandos tipo alavanca; 3. Sifão flexível para evitar machucados em caso de batidas; 4. Espelho inclinado para facilitar a visualização pela pessoa em cadeira de rodas; 5. Comando elétrico tipo alavanca para controle de altura do lavatório; 6. Ralo longitudinal para escoamento da água, evitando desníveis entre os pisos; 7. Cantos inferiores do lavatório arredondados.

"Enquanto há dívidas, não há amigos" (Provérbio popular)


 Estão em obra 70 escolas. Os construtores ameaçam suspender trabalhos, o que colocará em causa a abertura do próximo ano lectivo.
A Associação de Empresas de Construção, Obras Públicas e Serviços (AECOPS) ameaçou hoje suspender as obras em curso em 69 escolas secundárias, no âmbito do programa de modernização gerido pela Parque Escolar, caso este empresa pública não regularize “de imediato as dívidas que têm vindo a acumular junto das empresas” do sector.
A AECOPS alerta que a suspensão dos trabalhos “coloca em causa a abertura do próximo ano lectivo” nestas escolas. Em comunicado, a associação frisa que a Parque Escolar “deixou de cumprir, na maioria das empreitadas, com os pagamentos devidos às empresas responsáveis” pelas obras naquelas escolas, uma situação que está a acelerar “o número de insolvências e o desemprego no sector”. Esta situação, a manter-se, “num momento em que a construção atravessa a maior crise da sua história”, “irá provocar graves prejuízos, tanto na subsistência de grande parte do tecido empresarial do sector, como no sistema educativo”, adverte

terça-feira, 22 de maio de 2012

10 professores,12 alunos e professor vigilante ideal

Em média, é mais de um professor por mês. 
A Escola do 1º Ciclo do Ensino Básico de Carregal, no concelho de Sernancelhe, foi ontem fechada a cadeado em protesto contra a constante substituição da professora dos 2º e 3º anos. As doze crianças afetadas já tiveram neste ano letivo dez professores. (…)
Para tentar provar que a situação está a afetar o rendimento escolar das crianças, a Associação de Pais de Sernancelhe (APS) garante que os filhos só farão os testes intermédios se forem vigiados "por um professor que não seja do primeiro ciclo, de preferência do terceiro ciclo e de educação física". O objetivo é que "não haja facilitismo, nem ajuda às crianças nos testes", explica João Aguiar, da APS.
Júlio Tavares, adjunto da direção do agrupamento de escolas, afirma apenas que a lei está a ser "escrupulosamente cumprida".

Se tristezas pagassem dívidas...

Portugueses andam pouco felizes, sobretudo se não tiverem estudos superiores
Nos indicadores do Better Life Index (BLI, "índice para uma vida melhor") da OCDE, Portugal é também o país onde há mais disparidade na satisfação com a vida entre quem tem estudos superiores ou não.
O BLI é um conjunto de indicadores recolhidos pela OCDE com o objetivo de medir a qualidade de vida, indo para lá das métricas económicas tradicionais, como o PIB. O BLI tem dados para os 30 membros da OCDE e para outros seis grandes países (Indonésia, China, Brasil, Índia, Rússia, África do Sul).

A Inclusão é um imperativo de consciência

Ação em aeroportos, foi premiada por críticos da publicidade
Nos dias 17 e 18 de janeiro de 2010, ao chegar ao Aeroporto de Cumbica, em São Paulo, os passageiros eram surpreendidos por carrinhos de bagagem com apliques que simulavam um deficiente numa cadeira de rodas. Desta forma, quem empurrava um desses carrinhos, parecia estar empurrando um cadeirante. O conceito era “Ajude um atleta a ir para a Paraolimpíada. Faça uma doação.”
Criada em 1996 pelo professor de educação física Steven Dubner juntamente com a administradora de empresas Eliane Miada, a ADD – Associação Desportiva para Deficientes é uma instituição sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento de pessoas com deficiência por meio de práticas desportivas adaptadas, ensino e cursos de capacitação, facilitando o processo de resgate da auto-estima, integração e inclusão social.
Contando com o patrocínio de empresas como Aliança do Brasil, Atlas Schindler, Bicbanco, Carglass, Converplast e SESVESP, a ADD apoia atletas nas modalidades basquetebol em cadeira de rodas, natação, atletismo, ciclismo tandem e surf.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Ignorados, mas campeões do mundo

Síndrome de Down: Seleção lusa campeã do mundo
A seleção portuguesa de atletismo para atletas com síndrome de Down sagrou-se, este domingo, campeã do mundo da modalidade. A competição decorreu durante três dias no Estádio João Paulo II, em Angra do Heroísmo nos Açores, e Portugal foi o grande vencedor, deixando para trás desportistas de 12 países. 
A atleta Maria João Silva, natural do Pico, esteve em grande destaque ao conquistar três medalhas de ouro. As medalhas foram obtidas nas provas de 1.500 e 800 metros marcha e em estafeta e deram uma contribuição decisiva para o resultado final, ajudando a colocar Portugal no cimo da classificação.
Depois de todas as provas disputadas, Portugal somou um total de 334,5 pontos, contra os 196,5 da Venezuela, segunda classificada, e os 169 da África do Sul, que ficou em terceiro lugar no mundial.
A próxima edição do Campeonato do Mundo de Atletismo para atletas com síndrome de Down realiza-se dentro de dois anos, desta vez na África do Sul.

"Tudo quanto é belo manifesta o verdadeiro." (Victor Hugo)

Trabalho realizado por Alunos com Necessidades Educativas

A inclusão a nível superior

Dias 16, 23 ou 30 de maio 
Alunos com necessidades educativas especiais (12º ano) convidados a visitar a UA
A Universidade de Aveiro (UA), através do Gabinete Pedagógico, desafia os estudantes do 12º ano com necessidades educativas especiais e que pretendam, no próximo ano letivo, candidatar-se a um dos seus cursos, a visitarem a instituição de forma a recolherem informações, não só relativas às acessibilidades, mas também à escolha de cursos ou outros assuntos pertinentes.
 Esta ação enquadra-se nas políticas de inclusão da UA, que tem procurado, dentro do possível, criar as condições necessárias para uma melhor educação e igualdade de oportunidades para todos. Mas, como as necessidades educativas especiais assumem formas variadas, pode ser necessário pôr em prática medidas específicas que requeiram algum tempo para serem implementadas de modo a estarem operacionais no início das aulas.
 Apesar do estudante só saber qual a Universidade que irá frequentar, aquando da publicação dos resultados dos concursos nacionais, é aconselhável que procure estar informado sobre as diferentes ofertas.
 A visita é aberta a alunos, professores, encarregados de educação, que poderão escolher uma de três tardes para a visita à UA, dias 16, 23 ou 30 de maio entre as 14h30 e as 17h30.
 Para o efeito, deverão dirigir-se ao balcão de receção do edifício da Reitoria, de onde serão encaminhados para o Gabinete Pedagógico.
 Preencha o formulário e envie  para o endereço eletrónico: gabinete.pedagogico@ua.pt

domingo, 20 de maio de 2012

Porque hoje é Dia do Mar (II)

SUGESTÃO DE LEITURA

Porque hoje é Dia do Mar (I)

UMA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL

"Dá-se a esmola para tirar da frente o miserável que a pede?"

 O bispo de Viseu quer acabar com a existência das redes “organizadas” de pedintes à porta das igrejas em dias de culto. D. Ilídio Leandro chamou a atenção para esta realidade, lembrando que os “pedintes”, mais não são que “funcionários” de uma rede organizada que andam a “explorar” a sensibilidade de quem abordam.
Segundo o bispo de Viseu, “esses pedintes são distribuídos, em carrinhas, antes das horas dos actos de culto, sendo recolhidos, no final, para depois serem redistribuídos por outros locais, correspondendo a um trabalho organizado, à maneira de empresa, servindo os interesses de uma organização estruturada, que vai muito para além da necessidade individual do pedinte”.
Considerando que há uma invasão contínua de grupos e associações nas horas da eucaristia, cujas intenções não são conhecidas, o bispo de Viseu quer impedir que esse tipo de peditórios decorra à porta da igreja.
“São tantos, e multiplicam-se com tanta frequência, é uma invasão contínua de grupos, associações etc. Normalmente não são bem conhecidas as intenções e, por isso, a orientação é que às portas das Igrejas não vamos deixar fazer esses peditórios”, disse, frisando que a Diocese não passa credenciais a “grupos que desconhece”.

"Tudo quanto é belo manifesta o verdadeiro." (Victor Hugo)

Trabalho realizado por Alunos com Necessidades Educativas

Interessante temática




Estará presente, em representação do Bastonário da Ordem dos Psicólogos, a Prof. Doutora Sara Bahía, Presidente da Assembleia de Representantes da OPP. Abordará a temática: “Saúde mental dos Professores na área das Necessidades Educativas Especiais". O evento ocorrerá no dia 26 de Maio de 2012

sábado, 19 de maio de 2012

Seremos o país do quase?

Quase
Um pouco mais de sol - eu era brasa,
Um pouco mais de azul - eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...
Assombro ou paz?  Em vão... Tudo esvaído
Num grande mar enganador de espuma;
E o grande sonho despertado em bruma,
O grande sonho - ó dor! - quase vivido...
Quase o amor, quase o triunfo e a chama,
Quase o princípio e o fim - quase a expansão...
Mas na minh'alma tudo se derrama...
Entanto nada foi só ilusão!
De tudo houve um começo ... e tudo errou...
- Ai a dor de ser - quase, dor sem fim...
Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim,
Asa que se enlaçou mas não voou...
Momentos de alma que, desbaratei...
Templos aonde nunca pus um altar...
Rios que perdi sem os levar ao mar...
Ânsias que foram mas que não fixei...
Se me vagueio, encontro só indícios...
Ogivas para o sol - vejo-as cerradas;
E mãos de herói, sem fé, acobardadas,
Puseram grades sobre os precipícios...
Num ímpeto difuso de quebranto,
Tudo encetei e nada possuí...
Hoje, de mim, só resta o desencanto
Das coisas que beijei mas não vivi...
Um pouco mais de sol - e fora brasa,
Um pouco mais de azul - e fora além.
Para atingir faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...

A magia do outro Luís de Matos

Ideia Premiada no WinUBI 2011
Luís de Matos, aluno finalista de Engenharia Informática foi o grande vencedor do segundo concurso de ideias WinUBI. O Wi-Go apresenta-se como uma solução para as pessoas com deficiências motoras ou que por diversas razões tenham dificuldades de deslocação.
Este aluno da academia beirã pretende comercializar uma solução que permite orientar um carrinho de compras. “Imagine-se uma pessoa que ande em cadeira de rodas, não poderá ir ao supermercado fazer as suas compras porque é extremamente difícil, senão impossível empurrar um carrinho de compras”, começa por explicar o mentor da ideia. Com o Wi-Go, Luís de Matos desenvolveu um conjunto de sensores e orientações para que uma pessoa possa “comandar um carro de compras de forma simples e eficaz e assim ter uma solução para as suas necessidades”.
O destaque do aluno vai também para a múltipla aplicação desta ideia. Não se restringindo apenas a carrinhos de compras quer para pessoas com deficiências motoras, para pessoas idosas ou outras, Mas também se pode utilizar “num vasto leque de situações”. Pelo que Luís de Matos investigou “não existe nenhum sistema deste género a ser comercializado”, daí que os três mil euros agora ganhos com o primeiro lugar neste concurso vão ser empregues no desenvolvimento do protótipo que depois irá servir para uma possível comercialização do produto. Neste momento existem já duas empresas, o Intermarché da Covilhã e a Ortolife que estão a apoiar o desenvolvimento deste projecto.

Contando que saiba Inglês...

Um método para ajudar qualquer pessoa a aprender qualquer disciplina




sexta-feira, 18 de maio de 2012

Coimbra é uma lição

Escola de Lordemão vai manter-se aberta e mega-agrupamentos são adiados
Consenso no Conselho Municipal de Educação de Coimbra
A EB1 de Lordemão não vai encerrar no próximo ano lectivo. Uma decisão consensual do Conselho Municipal de Educação, que considerou pertinente conhecer melhor a realidade da zona Norte do concelho, de onde já se deslocam centenas de alunos para o centro da cidade.
A decisão foi tomada ontem na reunião do Conselho Municipal de Educação, que deveria analisar uma proposta inicial da Câmara Municipal de Coimbra que apontava para o encerramento das escolas do 1.º ciclo de Torre de Bera, Botão, Rocha Nova, Cidreira e Lordemão.

Alexandre Ventura - como o recordamos?

Avaliar professores: tarefa tão difícil quanto fundamental
Pesquisador português, que participa nesta semana de congresso em São Paulo, fala da importância da avaliação de docentes para a qualidade do ensino
"As pessoas não gostam de ser avaliadas. Nós, por natureza, gostamos de avaliar os outros, mas quando somos o objeto dessa avaliação reagimos mal e resistimos", diz Alexandre Ventura, pesquisador português responsável pela implementação do sistema de avaliação de docentes em Portugal. Ventura, que está no Brasil para participar do maior evento de educação da América Latina, o Educar/Educador, que será aberto nesta quarta-feira, em São Paulo, concedeu a seguinte entrevista ao site de VEJA.
Como são feitas as avaliações ao redor do mundo? Ainda existe uma heterogeneidade entre os modelos. Na França, a avaliação é feita pela equipe pedagógica da escola. Na Inglaterra, o responsável é o diretor da escola, e avaliadores externos também são treinados para a avaliação. Em Portugual, são os próprios professores que avaliam uns aos outros. Não existe um consenso sobre qual modelo funciona melhor. Eu diria que um modelo bastante eficaz seria o que misturasse avaliadores externos e internos. Mas trata-se de uma alternativa onerosa e pouco utilizada.
Como desenvolver uma avaliação eficaz? O aspecto essencial é que ela seja justa e eficaz. É preciso transparência nos objetivos para que isso desperte confiança por parte dos professores. É preciso também que ela não se baseie em um único aspecto do desempenho do professor. Isso costuma ser tentador para muitas escolas: avaliar apenas o plano de aula dos docentes ou apenas a maneira como eles se portam na sala de aula. Isso só não basta. Por outro lado, corre-se o risco de avaliar muitas coisas e, ao final das contas, não se avaliar nada. É preciso ter a medida certa ou o caldo desanda. Por fim, é preciso treinar bem os avaliadores, sejam eles agentes externos ou internos da escola.
O que fazer com os resultados dessas avaliações? Em primeiro lugar, só faz sentido levar a cabo a avaliação de desempenho dos professores se ela vier para enriquecer a prática docente e, consequentemente, a educação. Fazer da avaliação um fim em si mesma é prejudicial. Neste caso, é melhor não ter avaliação alguma. O objetivo essencial é encorajar a melhoria de professores e escolas. Aqueles que são bons, precisam ser ainda melhores; aqueles que estão aquém do desejado, precisam encontrar suporte para melhorar suas práticas. Em última instância, defendo o afastamento de alguns profissionais que, por uma série de fatores, não podem ser professores. Insistir em ter essas pessoas na sala de aula é prejudicar o desenvolvimento do país.