segunda-feira, 30 de abril de 2012

"Não me importa a mentira, mas odeio a imprecisão." ( Samuel Butler)

"A reposição terá de ser gradual a partir de 2015. O ritmo será condicionado pelo espaço orçamental". Esta é contudo ainda uma hipótese de trabalho que admitiu que a reposição dos subsídios será realizada na cadência dos 25% ao ano.
Gaspar disse também que o défice esperado para 2013 será de 3% do PIB, havendo uma coincidência com o saldo da administração pública e o tecto dos défices.
Para estes números, que pressupõem uma redução de gastos, ou aumento de receita, Vítor Gaspar afirmou que "as receitas fiscais mantêm-se iguais, havendo apenas alterações do lado da despesa".
"Como foi enfatizado desde o primeiro momento, há medida que o tempo passa o peso do ajustamento que é da responsabilidade da despesa aumenta". Como referiu o responsável, "as receitas fiscais e receitas totais têm uma grande responsabilidade do lado do PIB".
Na apresentação do documento de estratégia orçamental, Vítor Gaspar afirmou anda que em 2016 haverá um défice de 0,6% do PIB, igual ao défice estrutural.
O ministro das Finanças referiu ainda que para 2012, não existirão medidas adicionais, uma vez que "as medidas são as que estão previstas no programa de ajustamento e que estão com mais detalhe no Orçamento Retificativo".

Boas notícias

Aluno de Coimbra vence medalha de prata em Olimpíada de Ciência


As duas equipas de estudantes portugueses que participaram nas Olimpíadas da Ciência da União Europeia que ontem terminaram na Lituânia conquistaram uma medalha de prata cada, o melhor resultado nacional de sempre na prova, disse a coordenadora da comitiva. Entre os seis estudantes portugueses está um jovem de Coim­bra: João Luís Janela  da Escola Secundária Infanta D. Maria. Participaram ainda Teresa Patrícia Martins (Escola Secundária dos Carvalhos, Vila Nova de Gaia), Ana Rita Bello (Externato Frei Luís de Sousa, Almada), Guilherme Santana de Oliveira (Escola Secundária José Estevão, Aveiro), Rodrigo Morgado (Colégio de Nossa Senhora do Rosário, Porto) e Luís Martins Franco (Escola Secundária da Portela, Lisboa).


                                                                                    Para saber mais sobre esta iniciativa, clique aqui

Sem saúde e educação, o que nos resta? Já nem temos trabalho

Uma manifestação em defesa da saúde e da educação juntou ontem em Madrid mais de 40 mil pessoas, segundo os organizadores, ou cerca de 9.000, segundo fontes policiais, noticia a agência EFE.
Uma porta-voz da Plataforma Social em Defesa do Estado Providência e dos Serviços Públicos, que convocou a manifestação, assegurou que a concentração reuniu mais de 40.000 pessoas, mas fontes policiais estimaram em 9.000 o número de manifestantes.
Segundo a agência AFP, eram dezenas de milhares os manifestantes reunidos, em Madrid e em outras cidades espanholas, contra as novas medidas de austeridade do Governo, que afetam a saúde e a educação.
"Golpes na saúde e na educação são a última coisa que podemos suportar, nós os trabalhadores. Sem isso o que nos resta? Já nem temos trabalho", disse Domingo Zamora, funcionário público de 60 anos, citado pela agência francesa.

"Dentro de dois dias, o amanhã será ontem." (Katherine Blasse)

Pesquisadores da Turquia desenvolveram um dispositivo capaz de trazer maior mobilidade e autonomia aos movimentos dos deficientes físicos e, quem sabe, futuramente, tornar obsoleta a cadeira de rodas. Trata-se do Dispositivo Tek de Mobilidade Robótica, que também permite que a pessoa permaneça em pé, o que é importante para manter as funções básicas de saúde para quem possui lesão na medula espinhal.
Com o dispositivo, o deficiente físico YusufAdturkoglu, que perdeu os movimentos da cintura pra baixo após cair de um cavalo há 5 anos, executa atividades sem a ajuda de ninguém. Através de um controle remoto, ele “chama” o Tek para perto da cama e a entrada pela traseira do aparelho facilita a acomodação de Yusuf que vai ao banheiro, ao supermercado, pode sentar em bancos, agachar e levantar com maior autonomia.O dispositivo tem um sistema de suporte de cintos e envolvem o usuário na parte inferior das costas e se agarram ao braço móvel.Não requer nenhum esforço de qualquer espécie.
Este avanço robótico e medidas terapêuticas apenas metade cadeira de rodas tradicional é feita de aço inoxidável, pesa 80 quilos e é alimentado por duas baterias de gel. tem autonomia de 14,4 km e atinge uma velocidade máxima de 3, 2 milhas por hora, os usuários podem levar até 90 kg. Dispositivo robótico Mobilização Tek não é um novo tipo de cadeira de rodas, mas uma plataforma nova mobilidade, será vendido na Turquia e na Europa por US $ 15.000.

domingo, 29 de abril de 2012

O som da Inclusão

Apoio a clientes Vodafone em língua gestual

A Vodafone lança o Serviço de Apoio a Clientes em Língua Gestual Portuguesa (LGP) para surdos e pessoas com deficiência auditiva, tornando-se a primeira empresa portuguesa a disponibilizar um call center especialmente dedicado a esta comunidade.
 O serviço foi criado com o intuito de colmatar as dificuldades específicas na comunicação com clientes possuidores de deficiência auditiva, está disponível através de uma videochamada gratuita para o número 12717 nos dias úteis, entre as 9h00 e as 20h00.
Para implementar esta linha de apoio, a Vodafone criou uma equipa de assistentes de call center fluentes em LGP. Estes foram acompanhados durante o seu período de formação por uma intérprete profissional de LGP e pelo Professor João Alberto Ferreira, Presidente Honorário da Associação Portuguesa de Surdos, que adequaram e transpuseram para Língua Gestual Portuguesa todos os módulos de formação de atendimento ao Cliente que, anteriormente, versavam apenas a comunicação por voz.
 Para fazer face à inexistência em LGP de determinados vocábulos específicos do léxico das telecomunicações, como ‘Pen de acesso à Internet’, ‘tarifário’ ou ‘rede’, foram adaptados gestos que serão gradualmente introduzidos na comunidade utilizadora de Língua Gestual Portuguesa.
 Igualmente no âmbito da sua política de Responsabilidade Social, a Vodafone Portugal disponibiliza desde 2005 tarifários com condições especiais e equipamentos adaptados para pessoas com incapacidade comprovada igual ou superior a 60%, visando contribuir eficazmente para a integração desta comunidade na Sociedade de Informação.

Que público estranho é este, que me é tão familiar?

Mediar públicos com necessidades educativas especiais
O acesso aos conteúdos educativos dos Museus – muito para além das acessibilidades físicas – é o que vamos explorar neste curso destinado a professores, terapeutas, mediadores culturais e a todos os educadores que trabalhem ou pretendam vir a trabalhar com estes públicos, nos dias 5 e 6 de maio, na Fundação Calouste Gulbenkian.
- Que público estranho é este, que me é tão familiar?
- Como tornar realidade um conceito de cidadania cultural?
- Como estruturar atividades?
- Qual o perfil ideal para o mediador de públicos com necessidades educativas especiais?
Ao longo destes dois dias, procuraremos responder a estas e outras questões, ao mesmo tempo que partilharemos a experiência de 6 anos das Oficinas Museu Aberto do Centro de Arte Moderna.
Desde 2006, com o programa Oficinas Museu Aberto, que o Setor Educativo do Centro de Arte Moderna tem vindo a desenvolver um trabalho importante e continuado com populações portadoras de deficiência e/ou doença mental, numa lógica de trabalho que pretende alargar acessibilidades, promover o museu enquanto espaço inclusivo e reforçar a ideia de uma educação artística como parte integrante da formação completa de qualquer indivíduo - um princípio que se prende com o direito de cidadania.(...)
Este curso de cariz teórico-prático pretende apresentar, discutir e explorar algumas das estratégias e metodologias seguidas pela equipa de necessidades educativas especiais do CAM, estimulando os formandos a:
- partilhar saberes;
- a adquirir ou diversificar ferramentas para uma melhor caracterização e um melhor conhecimento destes visitantes;
- a abordar diferentes metodologias de intervenção;
- a experimentar alguns exercícios de oficina;
- e a esboçar propostas de trabalho com estas populações.

O curso terá a duração de 9h: no sábado das 10h00 às 17h30 (com 1h30 para hora de almoço), e no domingo das 10h00 às 13h00. E terá como orientadores Miguel Marujo e Margarida Vieira.

sábado, 28 de abril de 2012

O princípio da esperança

O Ministério da Saúde vai criar uma comissão para a elaboração de uma tabela de avaliação de incapacidades que não se restrinja a doenças profissionais, seguindo assim a recomendação feita pelo Provedor de Justiça em fevereiro.
Alfredo José de Sousa pediu aos ministérios da Saúde e da Solidariedade que criassem uma nova tabela de avaliação de incapacidades, defendendo que a atual é desadequada, porque foi criada para medir deficiências decorrentes de acidentes de trabalho e doenças profissionais.
Em resposta ao Provedor, e de acordo com informação da Provedoria da Justiça, o ministro da Saúde reconheceu que é necessário adotar "uma regulamentação específica para a avaliação da incapacidade das pessoas portadoras de deficiência" e informou que está a ser constituída uma comissão que irá elaborar uma Tabela Nacional de Incapacidades (TNI) que não se restrinja a doenças profissionais e acidentes de trabalho.(…)
Alfredo José de Sousa entende, por isso, "que já estão a ser adotadas as providências necessárias, ou seja a serem criadas tabelas próprias para a avaliação das pessoas portadoras de deficiência e das portadoras de doenças crónicas".

Contestação. Lá como cá

Contestação à reforma do ensino do português era esperada
O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas disse na sexta-feira em Londres que já esperava contestação às reformas do ensino do português no estrangeiro, mas adiantou que o processo de inscrições na internet está a decorrer "satisfatoriamente".
"Tive reações de alguma contestação, é evidente. Também não esperava outra coisa, embora também já tenha algumas reações de apoio", afirmou José Cesário em Londres à agência Lusa.
O Governo determinou que os alunos que pretendam frequentar aulas de português no ensino paralelo no estrangeiro no próximo ano letivo têm que fazer uma pré-inscrição online e passar a pagar uma propina anual de 120 euros, medidas contestadas por sindicatos, pais, professores e representantes das comunidades.(…)
De acordo com José Cesário, a rede "tem professores em locais com turmas de três, quatro, cinco alunos e não tem em locais onde se calhar há dezenas de alunos".

Até isso vamos delegar?

Computadores vão reconhecer emoções

A tecnologia está a ser desenvolvida por investigadores do MIT e promete revolucionar, em breve, o modo como comunicamos através dos computadores. 

Ler expressões faciais e identificar estados básicos como confusão, agrado ou desagrado. A tecnologia de registo de emoções que está a ser desenvolvida por um grupo de investigadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) deverá começar em breve a ser aplicada.
"A tecnologia de medição de emoções estará em breve por todo o lado", declarou Rana El Kaliouby, do Affective Computing Research Group, que mostrou à BBC o que os computadores que estão a desenvolver vão permitir fazer. "Permitirá às pessoas comunicarem através novas e diferentes formas. É uma espécie de versão muito sofisticada do botão 'gosto' do Facebook", acrescentou.
Para além da identificação das emoções, através da visualização das expressões faciais pelos computadores, dispositivos como pulseiras eletrónicas vão detetar estados de stresse ou de excitação, através da medição de ligeiras alterações dos níveis de açúcar.
Este inovador tipo de funcionalidades deverá ser utilizado em áreas tão diversas como o marketing e publicidade, assistência e terapias médicas ou nas comunicações online.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

A Tecnologia ao serviço de quem mais dela precisa

Para saber mais, clique aqui
Numa experiência realizada esta semana, um professor da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça, apresentou um robô que pode ser controlado por ondas cerebrais.
Quem demonstrou a eficácia do equipamento foi um homem paraplégico que se encontra em tratamento num hospital suíço. Através de um boné com eléctrodos, o paciente enviou um comando mental para um computador localizado no seu quarto. Estes sinais foram posteriormente transmitidos para um segundo computador que provocou o movimento de um pequeno robô a uma distância de 60 quilómetros na cidade de Lausanne.
O sistema foi desenvolvido por José Millan, professor da Escola Politécnica Federal de Lausanne, especializada em interfaces entre o cérebro e máquinas. De acordo com o investigador, a mesma tecnologia poderia ser usada para mover uma cadeira de rodas.
"Assim que o movimento começa, o cérebro pode relaxar. De outra forma, a pessoa ficaria exausta rapidamente", explicou Millan, acrescentando que a tecnologia tem as suas limitações e que os sinais cerebrais podem ficar confusos se muitas pessoas ficarem em volta da cadeira de rodas, por exemplo.
Cientistas acreditam que, além de dar mobilidade aos paraplégicos, estes equipamentos podem vir a ser usados para ajudar outros pacientes a recuperar os sentidos.

"É necessário também um momento especial para reconhecermos as diferenças entre nós e os outros."(Hugo Hofmannsthal)

UM HOMEM CHAMADO DIFERENTE

Era uma vez um homem chamado Diferente. A família sempre o considerou diferente e Diferente ficou para sempre.
Desde pequeno, ainda na escola, o achavam diferente de todos. Os colegas entendiam que era diferente e, muitas vezes, tratavam o Diferente de forma diferente.
Os professores também o achavam diferente, muito diferente.
Os vizinhos desde que conheciam o Diferente também o consideravam diferente e, por isso, de maneira diferente se relacionavam com ele.
O Diferente foi-se acostumando à ideia de que era diferente. Assim, cresceu diferente, viveu diferente e morreu diferente.
Quando o Diferente partiu, todas as pessoas, com um ar ansioso, começaram a olhar à sua volta. Precisavam, urgentemente, de encontrar outro Diferente que as fizesse sentir, tranquilamente, iguais.

Que sejamos criativos ou produtivos? O que esperam de nós?


Uma pesquisa da Adobe mostra que 80% das pessoas que vivem nas cinco maiores economias do mundo sentem a sua criatividade ser bloqueada pelo crescimento económico. E dois terços, aproximadamente, consideram a criatividade algo valioso para a sociedade.
A pesquisa consultou 5 mil pessoas no Reino Unido, França, Alemanha, Estados Unidos e Japão. Dos entrevistados, três em cada quatro afirmaram estar sob pressão constante para serem mais produtivos que criativos, embora se espere que pensem criativamente no trabalho.
A falta de tempo é vista como o maior obstáculo à criatividade, como consideram 47% das pessoas que responderam à pesquisa.
“Um dos mitos sobre a criatividade é que apenas algumas pessoas são realmente criativas”, explica Sir Ken Robinson, especialista em educação e criatividade. “A verdade é que todos temos grandes capacidades, mas nem todos as desenvolvem.
Um dos problemas é que o sistema educacional não estimula os estudantes a desenvolver os seus poderes criativos naturais. Ao invés disso, promovem a uniformização.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Prevalecerá o bom senso?

Inspeção da Educação arquiva queixa contra escola por expressão 'viva o Benfica' em cantilena infantil
A Inspeção Geral de Educação (IGE) decidiu arquivar a queixa apresentada pelos pais de uma aluna contra o Agrupamento de Escolas da Ericeira por incluir a expressão 'viva o Benfica' na cantilena infantil 'atirei o pau ao gato'.
Na resposta enviada por escrito, a que a agência Lusa teve hoje acesso, a IGE informou os pais da aluna que "a queixa foi arquivada, porque a atuação da escola não mereceu censura jurídico-disciplinar".
Descontente com o resultado, Eduardo Mascarenhas, pai de uma menina de quatro anos a frequentar o jardim-de-infância de Santo Isidoro, já expôs o caso ao Provedor de Justiça

Se o desejares, podes voar, só tens de confiar muito em ti" (Steve Jobs)

Açores: Satélite de alunos lançado "com sucesso"
Um minissatélite construído pelos alunos da Escola Básica e Secundária de Vila do Porto, em Santa Maria, Açores, foi lançado esta terça-feira "com sucesso", na Noruega, no âmbito de um concurso promovido pela Agência Espacial Europeia (ESA).
«Os 'Azorean Shearwater' fizeram, pelas 15:00 (14:00 em Lisboa), o lançamento do seu satélite com sucesso. A missão foi bem conseguida, tendo-se atingido todos os objetivos", refere uma mensagem da equipa açoriana enviada terça-feira à Lusa.
A equipa, denominada 'Azorean Shearwater' (Cagarro açoriano), é constituída por cinco alunos do 11.º ano de escolaridade e dois professores, tendo o lançamento ocorrido na ilha de Andoya, na Noruega.
Este grupo faz parte de uma das 14 equipas europeias selecionadas para construir um mini-satélite, numa iniciativa da ESA que pretendeu oferecer aos jovens uma oportunidade única de participarem num projeto espacial verdadeiro.
O pequeno satélite construído pela equipa de Santa Maria era similar a uma lata de refrigerantes e propunha-se medir valores da temperatura e pressão e elaborar um cálculo da altitude durante a descida, além de tirar fotos e georreferenciar essas fotografias através de um módulo GPS.
Os açorianos competiram com equipas da Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Holanda, Suécia, França, Grécia, Roménia, Espanha, Itália e Reino Unido.

Clique AQUI para aceder ao Facebook da equipa Azorean Shearwater.
Clique AQUI para ver o conteúdo multimédia

Os fins justificam os meios? Bem, neste caso...

Universitários do Arizona cumprem tradição académica
Não há estudante no mundo que não goste de festejar o final do ano lectivo, mas na Universidade do Arizona, EUA, as festividades fazem-se com pouca ou nenhuma roupa... Quase 15 mil alunos aderiram à tradição académica de tirar a roupa no último dia de aulas. E, contudo, desengane-se quem pense tratar-se de mais um excesso da juventude. Afinal, as roupas são depois doadas a instituições de caridade.

25 DE ABRIL SEMPRE


quarta-feira, 25 de abril de 2012

"Uma escola é uma forja de espíritos."(José Martí)

Ativistas do movimento Es.Col.a reocupam escola da Fontinha

Para aceder ao respetivo blog, clique aqui
Gritando palavras de ordem como "ninguém pode parar a iniciativa popular", os ativistas, entre os quais mulheres e crianças, retomaram o espaço de onde haviam saído no dia 19 de abril.
Antes disso, os manifestantes haviam estado no exterior da Câmara do Porto, animando, com performances e música, milhares de pessoas reunidas nos Aliados para celebrar a Revolução dos Cravos, mas sem incidentes.

Ser jovem e não ser revolucionário é uma contradição genética.(Che Guevara)

Estudar é um dever revolucionário


Ouçamos o outro lado

PODER OBTER ESTA OBRA, CLICANDO AQUI

"A liberdade é, antes de tudo, o direito à desigualdade." (N. A. Berdiaev)


Cartaz tirado daqui
A Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Direitos dos Filhos, vem associar-se ao movimento internacional criado com o Dia Internacional da Consciencialização da Alienação Parental que, em 25 de Abril, pretende alertar a opinião pública para um fenómeno que está presente nas relações entre casais separados quando um dos progenitores pretende alienar o outro junto dos filhos.
Todos gostamos e temos direito a ter pai e mãe nas nossas vidas, independentemente de eles estarem juntos ou separados.
A criança e o jovem, precisam de reconhecer-se no pai e na mãe e ser reconhecidos por eles, construindo a partir daí a sua própria identidade.
Quando isto não acontece, a criança irá gradualmente buscar uma segurança exterior, para compensar a insegurança interior relacionada com a sua identidade. Os exemplos em que as crianças e os jovens buscam a sua identidade no exterior, por uma fragilidade interna, derivada de ausência de pai ou mãe são, infelizmente, muitos e alguns deles públicos.
É por isso condenável que, sobretudo nas situações de separação, um dos progenitores pretenda afastar os filhos da vida do outro, afastando normalmente aquele com que a criança não convive diariamente. Os filhos são influenciados pelos pais, através do exemplo destes.
Os pretextos para criar afastamento e denegrir a imagem do pai ou da mãe que não convivem com as crianças e / ou jovens, são múltiplos e cada vez mais conhecidos. Podem ser mais primários ou mais perversos. Ambas as situações destroem a identidade das crianças e dos adolescentes, com danos para a sua vida futura onde se salientam:
- dificuldades de relação com a autoridade e a frustração;
- problemas de identidade sexual;
- doenças psicossomáticas;
- baixa auto-confiança;
- dificuldade no estabelecimento de relações interpessoais saudáveis e pautadas pela assertividade;

terça-feira, 24 de abril de 2012

E na nossa Escola, estaremos preparados?

Salas sem espaço para 30 alunos 

Há salas de aula em escolas requalificadas pela Parque Escolar que não estão preparadas para receber turmas de 30 alunos, conforme decisão do Ministério da Educação e Ciência. O problema é ainda maior nas escolas mais antigas e que não sofreram obras de melhoramento. A Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE) está preocupada com a decisão do ministro Nuno Crato e espera bom senso da administração.

Pérola de hipocrisia com pedacinhos frescos de cinismo


OUÇA AQUI O BRUNO NOGUEIRA A FALAR DE EDUCAÇÃO, DE NUNO CRATO E DA CONSTITUIÇÃO DE TURMAS

Eu diria mais: toda a unanimidade é burra!

"Nada promove mais a insegurança do que a unanimidade. A vida é biodiversa. Nenhuma criatura é igual a outra e onde há hegemonia há sempre desarmonia. Vemos bosques de reflorestamento de eucaliptos e julgamos que ali há vida. Grave engano. A falta de diversidade elimina a vida. Não há maior refinamento do que a diferença. Se toda criatura é única, nenhuma organização pode respeitar a vida sem afirmar seu respeito à diferença. Todo canto uníssono deixa de representar as vozes que o compõem. Na verdade, é sempre uma voz que conseguiu dominar as demais."
-- Nilton Bonder, no livro "Exercícios, d´Alma"

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Em Viseu há um Bispo que confia no Ensino Superior

A Bênção das Pastas marcou ontem uma viragem na vida de centenas de estudantes de Viseu, que agora se preparam para enfrentar o mundo do trabalho. O adro da Sé encheu-se de finalistas, familiares e amigos, que quiseram acompanhar a missa presidida pelo bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro.
Dirigindo-se aos alunos, que agora terminam as suas licenciaturas, D. Ilídio questionou se já tinham percebido “os talentos que têm”.
“É importante que, de hoje em diante, saibam que talentos têm, agora é que eles vão ser postos à prova”, sublinhou. O prelado lembrou que “durante o curso, possivelmente, com muitas ajudas e às vezes com cábulas” vão tendo “a nota necessária”, contudo “a partir de agora, não há cábulas que resistam” no mundo do trabalho.

Sinto a inclusão aqui mais perto

Cinto guia para deficientes visuais por GPS  

O designer britânico Michael Kirke desenvolveu um acessório especial que vai facilitar a vida de pessoas com deficiência visual: um cinto vibratório que guia o usuário utilizando coordenadas de GPS.

O cinto é colocado na cintura da pessoa e se conecta a um celular via Bluetooth. O sistema de comando de voz ajudará o usuário indicando qual é o seu destino, de acordo com a rota marcada no GPS. As instruções dadas durante o caminho serão repassadas ao cinto, na forma de vibrações indicando para ir do lado esquerdo ou direito, conforme a rota indicada.
Michael Kirke, autor do projeto que ainda está em fase de desenvolvimento, disse: “O produto não erradica o cão guia ou a bengala, mas aumenta a capacidade de navegação e a independência e autonomia dos cegos”.

domingo, 22 de abril de 2012

Os alegados pontos fracos de uma Educadora

Os encarregados de educação dos alunos do jardim-de-infância de Eirol, em Aveiro, estão revoltados com a educadora. Além de chegar tarde, segundo os pais, a professora adormece nas aulas em que conta histórias, come o lanche dos alunos e responde em voz alta aos responsáveis pelos meninos.
A educadora de infância está actualmente de baixa médica, e os pais não querem que aquela volte a manter contacto com os filhos. "A professora que eles têm agora é um amor. É uma pena andar a tapar os buracos das educadoras que não têm condições para estar com os alunos", disse, revoltada, Elisabete Sequeira, mãe de um menino que frequenta a pré-escola.
De acordo com os encarregados de educação, quando está a ler as histórias aos meninos, a educadora adormece várias vezes, e, quando acorda, volta a repetir todo o texto. "Os meninos não ficam concentrados. Se não fosse a auxiliar, ela deixava-os para ali sozinhos, e até lhes poderia acontecer alguma coisa", acrescentou Elisabete, que também garante que a docente tirava os alimentos dos meninos. "Ela comia sempre o pão deles." Revoltados, os pais pensam agora em não deixar mais os meninos naquele jardim-de-infância público, caso a professora regresse.
"Não vamos fechar os portões, pois isso é proibido. Mas não os vamos deixar mais com aquela mulher perigosa", sublinhou Elisabete.
O CM contactou o presidente da Junta de Eirol, Manuel Vieira dos Santos, que garantiu desconhecer o caso.

A consulta que não dispenso

Em bom português: o personagem ou a personagem?

Quando era aluno (há muitos anos...), tinha de dizer (e escrever) "a personagem" para não me ser marcado erro.
Da consulta de vários dicionários de língua portuguesa e da análise das respostas dadas pelo Ciberdúvidas sobre o assunto, conclui-se que:
a) A esmagadora maioria das cerca de 400 palavras que há na nossa língua terminadas em "agem" são do género feminino (montagem, vagem, imagem, etc.);
b) Como palavras com esta terminação que sejam exclusivamente masculinas temos apenas almargem (prado) e certos compostos como porta-bagagem;
c) Embora haja linguistas que condenem ou desaconselhem o uso de "o personagem", é mais ou menos consensual que ambas as formas são corretas: o personagem e a personagem.
Notas:
1. Encontramos, no século XIX, nos livros de Camilo Castelo Branco, "o personagem".
2. A generalidade das palavras terminadas em "agem" que são hoje do género feminino, encontramo-las no masculino nos textos medievais: "Este he o linhagem dos mui nobres e muy honrados ricos-homens" (http://alfarrabio.di.uminho.pt/vercial/linhagem.htm)

iPhone - "I" de INCLUSÃO

Sem dúvida alguma, alguns dos momentos mais complicados e desconfortáveis na vida de um cego são aqueles que envolvem dinheiro. Tanto na hora de pagar como receber uma determinada quantia, fica sempre aquela dúvida se a pessoa com quem o portador de deficiência visual está se relacionando é alguém realmente confiável e honesto. Em um mundo cada vez mais escasso de boas intenções, o LookTel Money Reader veio na hora certa para ajudar os deficientes visuais nesse processo de “desmacarar” larápios em potencial.
O aplicativo, desenvolvido pela Ipplex, funciona da seguinte forma: a pessoa aponta uma cédula de dinheiro para a câmera do iPhone e automaticamente o LookTel Money Reader reconhece dólares americanos e diz qual o valor da nota, de modo sonoro, é claro.
O acesso ao recurso não necessita nem mesmo de conexão à Internet para que possa ser ativado e o aplicativo pode ser facilmente encontrado via VoiceOver, presente no iPhone. Ou seja, basta a pessoa tocar na tela, para que o celular diga o nome do aplicativo e do que se trata.
A LookTel ainda promete, em breve, lançar outros aplicativos que facilitam a vida dos portadores de deficiência visual. Esses aplicativos devem promover o reconhecimento de embalagens de alimentos, CDs, DVDs e caixas de remédio. Com isso, os deficientes visuais terão cada vez mais autonomia nas suas ações cotidianas, sem precisar da ajuda de terceiros, que nem sempre estão por perto, além de contribuir para o aumento de sua auto-estima.
Existe uma outra proposta de aplicativo que reconhecerá pontos de referência nos locais, ajudando os cegos no difícil processo de se locomoverem pelas cidades. Parece que não só os vigaristas devem se preocupar com os próximos lançamentos da LookTel. Os cães-guia podem ser a próxima “classe” a estar com os dias contados…