sábado, 31 de março de 2012

Bela iniciativa

TELETON promove artistas com deficiência no Tarrafal

A Delegação da Associação Cabo-verdiana dos Deficientes do Tarrafal de Santiago realiza a partir das 22 horas deste sábado, no mercado de Artesanato e Cultura do Tarrafal, uma actividade cultural para promoção dos artistas com deficiência no concelho.

A “TELETON Tarrafal 2012” tem ainda como objectivo dar visibilidade à Delegação da Associação Cabo-verdiana de Deficientes do Tarrafal de Santiago, mobilizar fundos para a implementação de seu plano de actividades para 2012 e ainda melhorar a qualidade de vida das pessoas portadoras de deficiência. Para animar a noite, ao palco vão subir os grupos compostos por Vera e Leny, voz da ADEVIC, Marina Vaz, Actuação Mon na Roda.

Pais expeditos: transferência dos 2 Professores!

Os pais e encarregados de educação da escola primária de Gandra, em Valença, exigem a transferência dos dois professores daquele estabelecimento de ensino, tendo agendado já um protesto para o próximo dia 10.
Os encarregados acusam uma professora de pôr os alunos dos 3.º e 4.º anos de escolaridade "a ver filmes, durante toda a manhã, em vez de os ensinar", e o diretor da escola de "compactuar com a situação, o que está a provocar depressões e situações de ansiedade em várias crianças". As queixas dos pais levaram o agrupamento escolar - que se limita a confirmar a existência de um processo, rejeitando pronunciar-se sobre o caso - a abrir um inquérito, para averiguar se houve "alguma violação do dever da professora", encontrando-se a referida docente, desde então, de baixa médica.

Dentro de 45 dias, falaremos!

Uma professora do ensino básico de Valença está a ser alvo de um processo de inquérito depois de queixas apresentadas por vários pais em que denunciavam a alegada "depressão" em que se encontram várias crianças.
A situação envolve alunos do terceiro e quarto ano da escola de Gandra que, afirmam os pais, são colocados pela professora em causa, "toda a manhã", a assistir a filmes e desenhos animados, acompanhados apenas por uma auxiliar.
Acrescentam que a situação está a gerar "ansiedade" junto das 15 crianças afectadas e que algumas já estão ser avaliadas por psicólogos.
Ângela Evangelista, presidente do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho, de Valença, reconhece a existência de um processo de inquérito para apurar se houve alguma violação do dever da professora".
"Até termos este procedimento concluído, que decorre num prazo de 45 dias, não podemos dizer nada", referiu Ângela Evangelista.

Eu só queria entender!

Se os exames têm esse efeito admirável nos resultados escolares, ou porque dá um ar sério ao ensino sugerindo aos alunos que a escola não é para brincadeiras ou porque obriga o professor a trabalhar (coisa que só acontece quando há um exame no horizonte, como se sabe), por que razão as médias nacionais das disciplinas mais examinadas (Português e Matemática, por exemplo) não cavalgam para a excelência?
Quantos anos de exames nacionais serão necessários para que os alunos levem a coisa a sério?

sexta-feira, 30 de março de 2012

Reinventar o passado - Redescobrir o presente - Construir o futuro


A Oficina de Psicologia realiza, este domingo, a iniciativa "Histórias de vida com Scrapbooking", que tem por objetivo levar os participantes a re-inventar a sua vida passada, redescobrir o seu presente e construir o futuro. O evento está marcado para as 16h, na Fábrica do Braço de Prata (Lisboa), e a participação é gratuita.
Esta iniciativa permite aos participantes refletirem sobre a sua história de vida, de uma forma criativa, de maneira a descobrirem novas motivações e perspetivas, reforçar as raízes e projetar os caminhos futuros.
Nesta sessão a Oficina de Psicologia oferece uma experiência de criar um Scrapbook, uma arte que por analogia ao processo terapêutico vai permitir repensar o passado, reposicionar o presente e reprojetar o futuro.
O objetivo é tomar consciência dos recursos individuais de cada um e mobilizá-los, reconstruindo a narrativa de vida pessoal de uma forma contínua e criativa.
A Oficina da Psicologia pede aos participantes que levem fotos pessoais, canetas, cola, tesoura, tecidos e outros materiais artísticos para complementar o material que a Oficina disponibiliza. No final, cada participante poderá levar consigo o resultado final da sessão: uma narrativa da sua vida passada, presente e futura.

Clique AQUI para fazer a sua reserva gratuita. Pode também contactar a Oficina de Psicologia através do email contacto@oficinadepsicologia.com ou do telefone 926 68 41 62.

"A esperança é um empréstimo que se pede à felicidade." (Joseph Jouber)t


Cátia Santos nasceu sem uma mão, agora, aos 17 anos, uma campanha de recolha de tampinhas devolveu-lhe a esperança de ter um prótese biónica. Pela frente está a tarefa de recolher, juntar, transportar e ensacar 84 toneladas de tampas.

Não fosse o donut ressequido, e diria que se passa na nossa Escola!

 As Crianças Afluentes
(...)
Observemos o seu quotidiano. Imaginemos uma dessas crianças: rapaz, onze anos, 6.º ano de escolaridade, um irmão mais novo. Quando é acordado pela mãe para ir para a escola, logo começa a protestar, porque é cedo e está frio. Em regra não toma o pequeno-almoço, toda a família já se atrasou com o protesto inicial e o menino agora embirra com o leite matinal. Chega à escola e não fala às auxiliares, mas não hesita em gozar um colega mais frágil ou em desafi ar a professora, sobretudo se não for logo gratificado com uma atenção privilegiada. A afronta pode ser uma recusa de resposta, olhos para baixo e braços cruzados com força, ou aparecer sob forma disfarçada, através de uma série interminável de perguntas, para as quais há muito conhece as soluções. Nos testes, olha para o colega do lado para espreitar as respostas, estuda pouco mas quanto baste para não reprovar.

Chega o primeiro intervalo. Irritado e cheio de fome, abranda a sua fúria numa bola de Berlim com creme, ou num donut ressequido do bar da escola. Não dispensa uma piada a quem o receia e é hábil nas graças às raparigas. De regresso às aulas, é o momento de armar em líder da turma e protestar quando a professora tenta impor a disciplina.

Almoça longe do refeitório, isso é para os chungas. Prefere comer no café mais próximo, a exigência diária de dinheiro aos pais permite-lhe escolher a ementa. De tarde, está sonolento nas aulas, olha com ar de desafio em seu redor, não toma nota dos trabalhos para casa. (...) 
Por Daniel Sampaio
In Pública (5.2.2012)

quinta-feira, 29 de março de 2012

A felicidade começa com a constatação do óbvio. (Millôr Fernandes)

Aos 88 anos, deixou a vida terrena um dos maiores humoristas do Brasil. Foi de madrugada, no Rio de Janeiro, soube-se esta tarde.
Escritor, cartoonista e, sobretudo, um atento e culto observador da sociedade brasileira era assim Millôr Fernandes, que morreu hoje de madrugada, aos 88 anos, de falência múltipla de órgãos, na sua casa, no mítico bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro.
A situação clínica de Millôr agravara-se desde fevereiro, quando o escritor sofreu uma acidente vascular cerebral. 
Sempre com um sorriso estampado no rosto fino, Millôr era uma personagem muito querida da cena cultural carioca. Mestre de muitas artes, podia ser requisitado como escritor, ilustrador, dramaturgo,  jornalista, cartoonista, tradutor de Shakespeare, Molière e Brecht. 

Declaro aberto o debate

Um grupo de pais e professores franceses apelaram a um boicote de duas semanas aos trabalhos de casa. Para a principal associação de pais francesa, os trabalhos de casa são "inúteis" e "cansativos" e empurram a responsabilidade de ensinar para os pais.
"Se a criança não conseguiu fazer o exercício na escola, não sei como vai fazê-lo em casa", disse Jean-Jacques Hazan, presidente da FCPE. Para a associação, com os trabalhos de casa, as escolas estão a "pedir aos pais que façam o trabalho que deveria ser feito nas aulas".
Os trabalhos de casa foram banidos das escolas primárias francesas em 1956. No entanto, muitos professores ignoram a lei e mandam exercícios para as crianças fazerem em casa. Os alunos mais velhos chegam a ficar uma hora em casa a fazer exercícios, depois das aulas. Aos fins-de-semana e à quarta-feira, dia em que a maiora das escolas fecha, o volume de trabalho é ainda maior.
Catherine Chabrun, presidente da organização de professores Institut Coopératif de l'Ecole Moderne (ICEM), acredita que os trabalhos de casa aumentam as desigualdades entre as crianças. "Nem todas as famílias têm tempo ou conhecimentos suficientes para ajudar os seus filhos", afirma.
O grupo de pais e professores diz não estar a protestar contra os deveres, mas contra o facto de as crianças terem de os fazer em casa e não durante o dia de aulas. "Os professores não percebem a pressão inacreditável que põem sobre as crianças", disse Jean-Jacques Hazan.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Expetativas, tenho! Crença, nem tanto!

Como conseguir que todos os alunos aprendam e a escolaridade obrigatória se cumpra?

Escolaridade obrigatória debatida no Fórum das Políticas Públicas do ISCTE-IUL
O Fórum das Políticas Públicas continua a centrar-se nos grandes temas da atualidade, lançando, no próximo dia 29 de março, pelas 17h30, no Grande Auditório do ISCTE-IUL, a discussão sobre como cumprir a escolaridade obrigatória assegurando a aprendizagem com sucesso de todos os alunos.
Na décima sessão do Fórum, Augusto Santos Silva e David Justino, ex-Ministros da Educação, vão confrontar argumentos a partir da questão “Como conseguir que todos os alunos aprendam e que a escolaridade obrigatória se cumpra?”, com moderação de João Sebastião.
Esta iniciativa é composta por um conjunto de debates sobre medidas de política pública, visando contribuir para o desenvolvimento e modernização da sociedade portuguesa. Os debates realizam-se semanalmente, até 3 de maio, e inserem-se nas comemorações dos 40 anos do ISCTE-IUL.
Com mais de duas dezenas de oradores, as treze sessões do Fórum das Políticas Públicas apresentam figuras reconhecidas na sociedade portuguesa, tendo a sua maioria desempenhado funções executivas em governos de todos os quadrantes políticos, e contribuído para o desenvolvimento e planeamento de políticas em áreas como a saúde, economia, educação, ambiente, finanças, entre outras.

"Aquele que prevê é dono dos seus dias." (Johann Goethe)

PIB português vai cair 3,7% em 2012, mais austeridade é "provável" - Fitch

Vítor Gaspar: «Não prevejo mais austeridade este ano»



Contigo em contradição...

Imagem que ilustrava um texto de 2008

Ana Benavente diz que revisão de Nuno Crato é "retrocesso lamentável"

A ex-secretária de Estado da Educação Ana Benevente considerou hoje "um retrocesso absolutamente lamentável" a revisão curricular apresentada pelo ministro da Educação, Nuno Crato, defendendo que vai conduzir a uma escola para ricos e outra para pobres.
"Vejo (a versão final) como negativa, como um retorno à escola tradicional, que não é uma escola para todos", disse à Lusa a ex-governante, considerando que as medidas apresentadas na segunda-feira irão propiciar "uma escola de seleção e de exclusão".
Para Ana Benavente, a revisão que entrará gradualmente em vigor a partir do próximo ano letivo traz consigo "uma imensa contradição", na medida em que fala de autonomia das escolas, mas também de exames finais desde o 4.º ano de escolaridade.

Primeira agência bancária na França dedicada ao atendimento de deficientes auditivos

A França conta com mais de quatro milhões de deficientes auditivos. Até o momento, os bancos pouco se preocupavam com eles. Na cidade de Montpellier, a Caixa Económica de Languedoc-Roussillon decidiu abrir em maio de 2011 uma agência dedicada a esse público. Na verdade, trata-se de uma agência dentro de uma agência com dois funcionários – um recepcionista e um consultor, que atendem tanto os clientes deficientes auditivos como os clientes ouvintes.
A recepção dos deficientes auditivos na agência bancária é realizada pela Laureen. Ela tem muita facilidade com a língua gestual porque tem familiares deficientes auditivos e por isso essa é a sua segunda língua materna
Aberta em maio de 2011 de maneira discreta, a agência bancária dedicada aos deficientes auditivos não para de receber novos clientes com essa deficiência para abrir uma conta.

terça-feira, 27 de março de 2012

E à Educação Especial disse nada!

Faço com que cada um se sinta especial!

Seu programa de inclusão é composto de dois grupos diários de 12 crianças, de 3 a 5 anos – um de manhã e outro no início da tarde. Em cada grupo, há oito que exibem desenvolvimento regular da idade e quatro com algum tipo de desordem que compromete o desenvolvimento, como, por exemplo, o autismo.
“As crianças com autismo estão integradas a um ambiente onde elas têm a capacidade de interagir socialmente com crianças fora do espectro autista”, diz ele. “É uma sala de aula normal, onde temos alunos com autismo e alunos sem autismo. Não são diferenciados em absolutamente nada”.
Numa rotina extremamente bem estruturada, Lopes, apaixonado pela música – e um estudioso de piano desde cedo, usa a sonoridade e a melodia como técnicas de ensino – na comunicação, compreensão e aprendizado de palavras e respeito mútuo.
Na hora que entram na sala de aula, as crianças dão as mãos e formam uma roda, cantando, “we are glad you are here. Hello to you and me” (“estamos felizes por estarem aqui. Olá para você e para mim”), fazendo com que todos se sintam bem-vindos e unidos. Lopes usa tambores e canções para ensinar conceitos, como tolerância e o controle emocional: “When you are mad, take a deep breath and relax” (“quando está bravo, respira fundo e relaxa”).
“O que enfatizamos aqui, que de repente não é tão enfatizado em outras salas de aula, — mas que na minha opinião deveria ser enfatizado em todos os lugares — é o ensino da interação social: como lidar com uma pessoa, pegar sua atenção, olhar no olho daquela pessoa, chamá-la pelo nome”, diz o carioca, que atribui parte do seu sucesso ao fato de ser brasileiro – não só pela sua musicalidade mas pela forma que se relaciona com as pessoas.
“Eu acho que faço com que cada um se sinta especial, e isso é importante”, diz ele. “Eu acho que o brasileiro tem isso, quando quer, de realmente mostrar ao mundo do que ele é capaz”.


segunda-feira, 26 de março de 2012

Revisão da Estrutura Curricular (26/03/2012)



Clique no quadro para o ampliar


Vamos alimentar esta ideia?

Pais dão explicações gratuitas aos filhos dos outros

Três dezenas de pais dos alunos do Externato de Penafirme, Torres Vedras, organizaram-se para dar explicações gratuitas em coletividades da região, numa estratégia solidária para contrariar a crise económica.
O projeto "Estudar dá Futuro" é dirigido a alunos do 5º. ao 7º. ano e foi implementado há dois meses pela associação de pais em 10 coletividades das freguesias abrangidas pela escola, numa iniciativa que conta com 30 pais voluntários.
"Assim como as minhas filhas sentem dificuldades na escola e eu ajudo-as, sei que há muitos pais que não têm condições económicas nem tempo para auxiliar os filhos. E como tinha algum tempo livre e como sempre fiz voluntariado, achei que podia ajudar", explicou Fernando Martins, consultor de gestão e pai de duas adolescentes da instituição.
Fernando Martins desloca-se uma vez por semana durante uma hora à associação da Silveira com Carlos Freire e Maria José Gomes, também pais de alunos da escola, para dar apoio a 15 alunos da freguesia.
Para o Externato de Penafirme, trata-se de um projeto relevante nos tempos que correm: "cada vez mais, chegam-nos pedidos de ajuda na alimentação, por exemplo, e é lógico que, não tendo dinheiro para pagar a alimentação, muito menos têm dinheiro para pagar explicações ou outro género de apoios", conta o professor Jorge Henriques.

Juntar o útil ao agradável

Província de Hainan, o "Hawai Chinê

Português vai ser licenciatura na ilha chinesa de Hainan 

O Centro de Cooperação Internacional em Educação vai lançar uma licenciatura em Português em conjunto com a Associação de Macau-Hainan para a Promoção Económica & Cultural e o Instituto Politécnico de Leiria, a decorrer em Portugal e na China.

O programa contempla três anos de estudo da 'Língua e Cultura Portuguesas' em Hainan, e o quarto e último ano da licenciatura em Portugal, no Instituto Politécnico de Leiria (IPL), onde os alunos vão optar entre duas vias de especialização: 'Gestão Turística e Hoteleira' e 'Tradução e Interpretação Português/Chinês e Chinês/ Português'.
 As licenciaturas de português na China mais do quintuplicaram na última década, passando de duas para catorze, e contando com os cursos privados, o número ultrapassará os vinte.

Descubra todas as funcionalidades

SAIBA MAIS CLICANDO AQUI:

domingo, 25 de março de 2012

Abismo entre o meu sonho e o meu porvir... *

Foto tirada daqui
Em 15 junho de 1984, um mergulho mudou definitivamente a vida do sueco Claes Hulting, 58 anos. Ao cair na água, ele bateu a cabeça contra o concreto de uma obra que estava encoberta pela maré. Seu pescoço foi partido na altura da sexta vértebra cervical, o que o deixou tetraplégico.
Hulting era um anestesiologista de 30 anos com casamento marcado para dali a duas semanas. Só não morreu afogado aquele dia porque amigos o resgataram. Foi transportado no mesmo helicóptero em que costumava prestar socorro a vítimas de acidentes e levado ao hospital onde trabalhava. Devido à sua profissão, sabia exatamente o que tinha ocorrido. Ele e sua mulher, Barbro Fogström, também médica, tinham plena consciência dos danos causados pelo choque com a cabeça, e decidiram manter o casamento, cuja cerimónia foi realizada no dia planejado — no hospital.
Como conseguiu ter um filho?
Estudei muito sobre sexualidade porque, quando sofri o acidente, foi-me dito que eu não poderia ser pai. Para as mulheres (com lesão medular) não há problema. Elas podem engravidar normalmente. Para os homens, o problema era o acesso ao esperma. A produção de sêmen não se altera e, principalmente depois do viagra, ter uma ereção também não é problema para a grande maioria dos pacientes. Os homens com lesão medular, porém, não têm orgasmo. Cerca de 50% das mulheres têm, mas os homens, não. O que descobrimos foi que, com a ajuda de vibradores, é possível provocar o reflexo da ejaculação. Eu comecei esses estudos e desenvolvi um vibrador, o Ferticare, que ajuda esses pacientes a ejacular e, assim, poder engravidar suas mulheres. Ele é um pouco diferente dos vibradores convencionais porque pode variar a amplitude e a frequência.
Demorou para a sua mulher engravidar?
Passamos sete anos tentando. Comprei todos os vibradores que encontrei para testá-los em mim mesmo. Hoje, a técnica pode beneficiar 85% dos homens com a medula lesionada. Assim como você, esses pacientes conseguem pressentir que a ejaculação está próxima. Então, com o viagra, garantimos uma ereção satisfatória e fazer o estímulo com o vibrador. Quando o homem sente que está perto de ejacular, pode deixar o vibrador de lado e iniciar a relação com sua parceira, ejaculando dentro dela.

Concorrer é preciso!

O Instituto Nacional de Reabilitação, I.P., no âmbito das suas competências, realiza em 2012, mais uma edição do prémio de Inovação Tecnológica Engenheiro Jaime Filipe com o objectivo de:
  • Promover o desenvolvimento de projectos de investigação inovadores, de prevenção e promoção de autonomia das pessoas com deficiência, que incluam medidas, propostas e soluções que facilitem a realização dos actos da sua vida diária pessoal e social.
  • Estimular a concepção e desenvolvimento de equipamentos, instrumentos, utensílios, tecnologias e metodologias que facilitem, optimizem e prolonguem as capacidades físicas, cognitivas e sociais e sejam garante de uma maior qualidade de vida.
  • Sensibilizar a sociedade, em geral, e os sectores nacionais do design, da indústria e da economia, em particular, para a área da prevenção da incapacidade, para a necessidade de concepção, produção e comercialização de produtos, equipamentos ou adaptações que assegurem a funcionalidade, a inclusão e a participação das pessoas com deficiência.
  • Estimular a criatividade nas áreas tecnológica e de design, podendo ser consideradas neste âmbito, as tecnologias de informação e comunicação, metodologias de distribuição de serviços, design universal, acessibilidades e outras que contribuam efectivamente, para a promoção da funcionalidade e da participação social das pessoas com deficiência.
Este Prémio homenageia uma personalidade de grande dedicação e actuação na defesa do exercício de cidadania e integração social das pessoas com deficiências ou incapacidade.

sábado, 24 de março de 2012

Violência policial - eles sabem do que falam

Imagem tirada daqui


Protagonistas da crise académica de 1962, incluindo o ex-Presidente da república Jorge Sampaio, aprovaram hoje uma moção de repúdio pelos atos de violência policial de quinta-feira e enviaram um protesto aos principais órgãos de soberania.

Já quanto a armas...

EUA: Escola proíbe abraços 

Quando os alunos (e funcionários) da Escola Secundária Matawan Aberdeen, em Nova Jersey, EUA, se quiserem abraçar, terão de o fazer fora dos portões do estabelecimento de ensino.

O director da escola, frequentada por mais de 900 alunos com idades entre os 11 e os 14 anos, anunciou aos alunos a proibição de abraçar. A medida causou polémica e deu que falar. De tal maneira que se viu obrigado a esclarecer publicamente que, apesar da regra, não pretende suspender os alunos que a quebrarem.

"A moda, afinal, não passa de uma epidemia induzida." (Bernard Shaw)

Marcas apostam em vestuário adaptado a deficientes

A pensar em corpos menos convencionais, têm surgido nos últimos tempos algumas marcas que pretendem oferecer a pessoas com necessidades especiais acessórios e vestuário adequado. A Downs Designs e a Xeni Collection foram criadas por pessoas que lidaram de perto com a dificuldade de encontrar peças adequadas às suas limitações.
Doente de esclerose múltipla desenha roupa adaptada
Em 1990, Ann Oliver trabalhava como arquiteta em Londres, quando lhe disseram que tinha esclerose múltipla. Cedo a doença obrigou-a ao uso de uma cadeira de rodas e perdeu uma grande parte da sensibilidade que tinha nas mãos.
Foi assim que surgiu a Xeni Collection. As roupas são especialmente desenhadas para pessoas com esclerose múltipla, lúpus ou artrite, entre outras limitações físicas.
Alguns dos cuidados que a Xeni Collection tem em conta são, por exemplo, a substituição dos fechos por ímanes no vestuário e um corte especializado para pessoas que passam o seu dia sentadas numa cadeira de rodas. Para o futuro há ainda o projeto de criar uma coleção de joias pensada para pessoas que tenham dificuldade em manusear grampos.

Tamanhos especiais para pessoas com síndrome de Down

 “O nosso objetivo é de que as pessoas com síndrome de Down tenham roupas com estilo e que se adequem aos seus corpos únicos”, explicou Karen.

Pode aceder à página oficial da Xeni Collection AQUI e à da Downs Designs AQUI.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Flagrante "situação de lavagem e de indução ao comportamento"

A inclusão da expressão 'viva ao Benfica' na cantilena "atirei o pau ao gato" de um jardim-de-infância da Ericeira, Mafra, motivou a queixa de um pai ao Ministério da Educação, por desrespeitar a pluralidade de gostos.
Na queixa enviada, a que a agência Lusa teve hoje acesso, Eduardo Mascarenhas, pai de uma menina de quatro anos, manifestou-se contra o facto de a educadora ter feito uma adaptação, ao ensinar as crianças a cantar "vai-te embora pulga maldita/batata frita/viva o Benfica" várias vezes ao dia.
O encarregado de educação, que se apresenta como um adepto não muito "ferrenho" do Futebol Clube do Porto, considera que se trata de uma "situação de lavagem e de indução ao comportamento" das crianças alimentada pela educadora e pelos responsáveis do agrupamento, todos benfiquistas.

Ficamos todos mais ricos

Van Gogh tem um novo quadro

Os peritos tiveram dúvidas que o quadro fosse de Vicente Van Gogh devido aos traços e ao grande tamanho do quadro. Mas depois de nove anos de investigação foi atribuído um autor à obra "Natureza morta com rosas e flores do campo" e confirmada a sua autenticidade.
Um quadro até agora atribuído a um anónimo foi afinal pintado por Vincent Van Gogh, confirmaram especialistas, a propósito de uma obra que é exposta a partir de hoje no Museu Kröller Müller, situado em Arnhem, na Holanda.

Uma luz ao fundo do túnel?

Escola põe alunos a fixar lâmpadas para terem melhores resultados

Uma lâmpada pode melhorar comportamentos e resultados escolares? Os adeptos do fosfenismo - que associa o pensamento à reacção à luz - acreditam que sim.
Os seus seguidores afirmam que o fosfenismo, desenvolvido pelo médico francês Francis Lefebure, permite "amplificar as capacidades cerebrais", melhorar a memória, o comportamento e as notas escolares. Para além de ser "repousante". Isto alcança-se através do que chamam a "conjugação fosfénica" - a associação de um pensamento a um determinado tipo de luz ou, mais precisamente, às manchas coloridas que se obtêm depois de se fixar uma fonte luminosa, os chamados fosfenos.
Para a chamada conjugação fosfénica é preciso que o aluno se sente a curta distância de uma lâmpada e que a fixe durante curtos períodos de tempo. Depois apaga-se a lâmpada e surgem os fosfenos: manchas luminosas que variam de cor, de amarelo a azul. Os pensamentos que devem ser mobilizados em simultâneo são distintos consoante as disciplinas em que os alunos têm dificuldades. Se for Matemática, pensa-se numa fórmula, se for Português, numa palavra ou numa construção gramatical, etc.
"Pareceu-nos um projecto alternativo muito simples e interessante e que não levantava nenhum problema a nível físico", explicou Isabel Ferreira, afirmando que a escola está sempre disponível para avançar com projectos que "estimulem os alunos e que os levem a acreditar neles". "Precisam muito disso", acrescenta. A presidente do Conselho Geral é professora de Língua Portuguesa na escola, que o ano passado foi a nona do distrito de Coimbra nos rankings do 9.º ano. Diz que têm "imenso orgulho" nos alunos.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Um país, duas velocidades. Até na Escola, Senhor!

Testes intermédios mostram persistência das desigualdades
A persistência, desde 2009, dos resultados das provas e de um padrão geográfico da sua distribuição que ilustra um país a duas velocidades são as principais notas de destaque do relatório sobre os testes intermédios realizados no ano lectivo 2010/2011, agora divulgado pelo Gabinete de Avaliação Educacional (GAVE)l.

Hoje é o 1.º dia do resto da tua vida *

Projeto único no mundo. Longa-metragem com 99% do elenco de pessoas com síndrome de down
Um dia você acorda, levanta, sai à rua. De repente, como um passe de mágica, se dá conta de que tudo está diferente. Diferente de você. Você é o diferente, agora. As pessoas, que exibem outras feições, lhe acham estranho. Não sabem muito bem como lidar ou o que esperar da sua personalidade – pensam isso, aliás, sem saber que a aparência nada tem a ver com personalidade. A partir daí você travará uma batalha contra um forte inimigo: o preconceito. Mas, se quiser, aí vai um segredo: ele é vencível. Pelo menos é nisso que acreditam José Mattos, e Paulo César Nogueira . Através da produtora Cinepel, o trio trabalha agora em um novo filme que trata sobre as diferenças – e como humanizá-las a favor da igualdade.